ARTE MODERNA

ARTE  MODERNA, que bicho é isto?

Ainda hoje, quando perguntamos para as pessoas o que elas entendem por arte? A resposta continua sendo a idéia de um quadro bem pintado, com traços de beleza e uma acentuada analogia (semelhança) com a realidade, isto é, uma imagem figurativa que se pareça bastante com a realidade.

almeida junior 1895

Gênero: Marinha – Pintor: Almeida Junior, 1895

Porém, o artista é filho do seu tempo; assim como o Hip Hop através do Rap e do Grafite contesta a realidade que vivemos nas grandes cidades (injustiça social, vida em alta velocidade, truculência policial, mêdo da violência, busca da voz dos moradores das favelas, etc), o jovem artista que vivia em Paris na metade do século XIX, também resolveu contestar as mudanças que aconteciam, buscando novos caminhos para expressar suas idéias e sentimentos.

grafites urbanos (4)

AGORA OBSERVEM ESSAS DUAS IMAGENS:

Moça com Livro Almeida Junior 1879  anita malfatti a boba

Moça com Livro – Almeida Junior 1879       A Boba – Anita Malfatti, 1917

As duas pinturas possuem como gênero pictórico o Retrato, mas e daí? Como ficamos na hora de compreender maneiras tão diferentes de representar uma pessoa?

Se o artista é filho do seu tempo e ele respira o clima de sua época (Zeitgeist),  a gente só pode compreender a Arte Moderna se tivermos como foco um contexto de aproximadamente 100 anos (metade do século XIX e a 1ª. Metade do século XX), considerando as imagens, fatos históricos e científicos que produziram a mudança na mentalidade e na maneira de perceber o mundo.

QUE HISTÓRIA É ESSA DE MUDANÇAS?

Pois é, imagine-se você sendo um adolescente, vivendo em Paris (capital da França), na metade do século XIX (1850).

frança

No início do século XIX (1800), Paris é uma cidade com mais de 1 milhão de habitantes, o centro da cidade povoado de cortiços e a via de esgoto fica a céu aberto, a cidade toda fede à falta de higiene.

Mas na metade do século a cidade começa a passar por intensas e profundas transformações.

* A cidade se moderniza através de grandes avenidas, o gás e a eletricidade iluminam ruas, avenidas e grandes lojas, respira-se um clima de progresso e entusiasmo.

* As pessoas passam a ter acesso às informações com os jornais que passam a ter tiragens diárias.

* Os trens passam a transportar as pessoas para lugares que antes elas só conheciam através de imagens, a vida se acelera.

* Em 1889, constrói-se a Torre Eiffel para a inauguração da 1ª. Exposição Universal.

* As pessoas abandonam a vida no campo para viverem e trabalharem nas cidades (migrações) e a população nas cidades se triplicam.

* A vida social se divide entre pessoas com dinheiro e que podem desfrutar do progresso e da vida cultural e uma classe de operários que trabalham longas jornadas nas fábricas , sem tempo nem condições para o convívio social e  cultural.

* As descobertas científicas no campo da física e da química sustem os avanços industriais. Surge o amoníaco, a dinamite, a nitroglicerina, a prensa rotativa, o concreto armado, a lâmpada incandescente, o avião, o automóvel, o raio X, a 1ª. Cesariana, etc.

* O telégrafo encurta as distâncias de comunicação.

* A produção Industrial cresce de forma acelerada.

* Surgem os primeiros sindicados e explodem as greves dos operários que buscam mais justiça social.

A INVENÇÃO DA FOTOGRAFIA e a Mudança na Percepção

Inventada em 1820 e aprimorada em 1839 através da experiência de homens como Niépce, Talbot e Daguèrre, a fotografia, ao aliar princípios da física (Câmera Escura) e da química (sais de prata), surge como um dos principais inventos do início vida Moderna.

daguerreotipoOs artistas até então incumbidos de retratar pessoas e paisagens são substituídos por fotógrafos, ficam agora livres para realizar novas pesquisas e experimentos.

É nesse clima de liberdade e contestação que um novo grupo de jovens artistas começam a trabalhar. O crítico de um jornal francês, apelida-os de “Impressionistas” depois de ver uma tela de Claude Monet intitulada “Impressão, Sol Nascente”.

Porém, antes de esclarecer as sementes do Impressionismo, temos que considerar o papel que desempenhou um pintor conhecido como Eduard Manet, nos caminhos da ruptura da Arte.

Mas isto já é tema para o próximo post.

Anúncios

Sobre urupespc

Sou professor de artes e design gráfico, gosto de tudo relacionado ao universo das artes.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s