O RENASCIMENTO E A PERSPECTIVA

A PERSPECTIVA E A CONSTRUÇÃO DO OLHAR

Representar a realidade sempre foi uma preocupação dos fazedores de arte desde nossos antepassados nas cavernas, questões como forma, volume, cores, espaço eram problemas a serem superados.

Hoje vamos falar sobre a representação do espaço natural na arte.

Foi no Renascimento que o arquiteto Felippo Brunelleschi sistematizou uma forma de representar o espaço real e tridimensional (realidade) partindo de uma abstração matemática que ficou conhecida como perspectiva.

Na Renascença, quase toda pintura obedecia a esse método de representação. A perspectiva era um expediente geométrico que produzia a ilusão da realidade, mostrando os objetos no espaço em suas posições e tamanhos corretos. A perspectiva capta os fatos visuais e os estabiliza, transformando o ponto fixo de um observador para o qual o mundo todo converge.

perugino keys

Entrega das chaves à São Pedro, 1481/82 – Perugino

De fato, foi uma revolução na forma de representar o espaço natural, a ilusão de profundidade produzida na pintura era tão impactante que o pintor Paolo Ucello sonhava com as possibilidades oriundas da perspectiva.

Embora a perspectiva seja uma construção, isto é a quantificação matemática do espaço real; até os dias atuais, damos por assentado que uma representação arquitetônica, pictórica, plataformas de vídeo-games, etc., correspondem à realidade e já não cogitamos a estrutura biofísica do aparato visual humano (córnea, luz, distorções, acoplamentos, etc) na percepção da realidade.

Essa construção visual se propagou através das imagens pictóricas, por todo o mundo, embora, muitas culturas ao redor do planeta possuam outras maneiras de representar o espaço natural. Um bom exemplo é a produção pictórica japonesa no século XIX.

hosukai

Katsushika Osukai – século XIX

A partir de fins do século XIX,  correntes estilísticas como o Impressionismo,  Cubismo, Futurismo, etc.,  irão desestabilizar o conceito da perspectiva como representação do espaço natural. O impacto foi tão violento que a própria noção de representação (figurativo/estar no lugar de algo, etc) passa a ser questionada. Nas próximas postagens, falaremos sobre isto.

About these ads

Sobre urupespc

Sou professor de artes e design gráfico, gosto de tudo relacionado ao universo das artes.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s